Depressão pós-parto - como vencer essa batalha

Depressão pós-parto - como vencer essa batalha

A depressão pós-parto atinge cerca de 10% que tiverem bebês e ocorre logo após o parto ou pode surgir depois, até o primeiro ano de vida do bebê.
Muitas mães sentem certa melancolia, tristeza e alterações de humor após o parto, por conta das alterações hormonais decorrentes da gravidez, mas que passam logo e é normal, já que a vida da nova mamãe vai mudar completamente. Mas quando os sintomas aparecem com maior intensidade, podem gerar a depressão pós-parto. Tenha sempre em mente que a depressão pós-parto não é culpa da mãe, muito menos de alguém a sua volta.

E saiba que os papais também podem ter depressão pós-parto pelo fato de terem que ter mais responsabilidade, dar suporte a esposa e também de poder dar uma boa vida e educação para seu filho. Os sintomas são o mesmo tanto para homem quanto mulher e precisa também ser tratado.

Será que tenho depressão pós-parto?
Antes de tudo, verifique se você tem mesmo a depressão pós-parto, para assim começar a fazer o tratamento correto.
Se você sente falta de energia, perda do bom humor, vontade de chorar o tempo todo, sensação de culpa, irritabilidade, falta de paciência e melancolia que não passam em um tempo menor que duas semanas, pode ser que você esteja com depressão pós-parto.

Vá a um psicólogo ou psiquiatra assim que imaginar que possa estar deprimida ou ainda converse com um endocrinologista ou ginecologista-obstetra, pois o quanto antes você fizer o tratamento, maior as chances de recuperação. Conte tudo o que sente e não omita nenhuma informação para que o diagnóstico seja preciso.
 
Como tratar?
Faça uma terapia com um especialista, para contar o que sente. Pode ser que só com ela você consiga vencer essa batalha, mas algumas vezes é necessário introduzir algum tipo de medicamento.
Os antidepressivos só podem ser prescritos por psiquiatra e quem encaminhará você é o seu terapeuta. Esse tipo de tratamento exige disciplina, pois é necessário tomar o medicamento no horário correto e leva cerca de duas a quatro semanas para fazer efeito, então paciência também é necessária. Existe hoje no mercado, antidepressivos que não atrapalham a amamentação, mas se notar algo diferente no seu bebê, converse com o médico.
Se você quer partir para uma linha mais natural antes de começar qualquer tratamento com remédios, parta para a prática de exercícios físicos. Veja que tipo de exercício mais gosta de fazer para começar a sentir os benefícios.

Uma outra dica é manter uma alimentação saudável, para que assim você tenha mais energia. Faça pequenas refeições regularmente para que os níveis de açúcar no sangue não caiam. Evite gorduras, pois são de difícil digestão e dão mais moleza e indisposição.

 
Evite a ingestão de estimulantes como álcool, cafeína e cigarros, pois contêm substâncias que aumentam a sensação de nervosismo. Procure tomar chás de ervas, leite desnatado ou suco.
Não se sobrecarregue. Não exija muito de você, pois você está doente e precisa de tempo para se recuperar. Se não der para fazer os serviços de casa, encare numa boa e peça ajuda, se necessário. Se não conseguir dar conta de cuidar do seu bebê, peça ajuda também. Não tenha vergonha em pedir socorro. Tentar fazer tudo sozinha pode te deixar mais estafada e frustrada.
Evite o isolamento. A vontade que se tem é de ficar sozinha em um primeiro momento, já que tudo irrita e nada parece bom, mas não faça isso. Se force a sair um pouco, veja os amigos e familiares e se distraia.
É tanta novidade depois que você se torna mamãe ou papai, que até pode assustar um pouco! E com depressão pós-parto tudo se torna mais difícil, mas tenha em mente que você poderá obter ajuda de todos os lados possíveis para vencer essa batalha!

Compartilhe essa página

Deixe seu comentário

Preencha o campo abaixo com seu e-mail para receber uma nova senha
Enviar
Para alterar seu e-mail, preencha corretamente os campos abaixo e clique em enviar
Enviar
X
Agradecemos a sua compra: